Morre aos 91 anos o ditador egípcio Hosni Mubarak

O ex-ditador/presidente do Egito, Hosni Mubarak, de 91 aos, morreu na manhã desta terça-feira (25) no Cairo, capital do país, em decorrência de problemas cardíacos.

Hosni Mubarak foi derrubado do poder em 2011, durante os protestos da Primavera Árabe. Ele comandou o país por 30 anos, tendo sido alvo de críticas pela Comunidade Internacional e membros de seu próprio governo.

Hosni Mubarak, ex-ditador/presidente do Egito – Foto: Reprodução Internet

De acordo com informações da TV Pública do Egito, Hosni Mubarak chegou a ser preso e permaneceu detido por seis anos, antes de ser inocentado de todas as acusações, incluindo as de assassinatos de manifestantes ocorridos na Praça Tahrir, no Cairo, uma das principais da capital do país.

O ex-líder egípcio Hosni Mubarak nasceu em 1928 na Província de Menoufita, tendo entrado na Força Aérea do Egito em 1950. Dois anos depois, os militares derrubaram o Rei Faroouk.

Em 1967, quando Israel destruiu completamente a Força Aérea do Egito na Guerra dos Seis Dias, Hosni Mubarak aproveitou a oportunidade para se tornar líder da Academia da Aeronáutica do país, com a missão de reconstruí-la para responder ao ataque do país vizinho.

Em 1973, Hosni Mubarak foi um dos líderes do ataque a Israel, mais precisamente na Península do Sinai, na ofensiva que deu origem a Guerra de Yom Kippur.

Em gratidão, o então presidente egípcio, Anwar Sadat, recompensou Hosni Mubarak com o posto de vice-presidente do país em 1975.

Em 1981, Sadat aceitou assinar um acordo de paz com Israel, mas foi assassinado por militantes islâmicos durante a cerimônia. Mubarak, que estava ao seu lado escapou ileso.

Após a morte de Anwar Sadat, Mubarak assumiu a presidência do Egito e restringiu a liberdade da população. Ele governou o país durante 30 anos, com base em uma lei de emergência elaborada por ele próprio.

Hosni Mubarak declarou que tais leis garantiriam segurança ao país e a população e impediriam ações de militantes islâmicos.

Durante o período em que governou o país, Mubarak venceu as três eleições como candidato único. Na quarta eleição, no entanto, ele foi acusado de manipulação e derrubado do poder.

Com informações das Agências Reuters e France Presse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo