Vice no ano passado, Yago Dora chega no QS de Noronha querendo o título

Surfista de Santa Catarina é uma das estrelas do CT confirmadas no Elétron Energy Apresenta OI Hang Loose Pro Contest

Vice-campeão no ano passado, o catarinense Yago Dora volta para Fernando de Noronha determinado a vencer o Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest, a etapa do WSL Qualifying Series status 5000, que abre o calendário latino-americano do Circuito Mundial a partir da próxima terça-feira (11). Finalista nos dois últimos eventos do QS no Brasil, o surfista de 23 anos sabe da importância de garantir um bom resultado, ainda mais “em casa”.

Ele chega à etapa ainda mais motivado depois da final no Volcom Pipe Pro, em Pipeline, no Havaí, e espera repetir a grande performance de 2019, quando terminou o ranking do QS em terceiro lugar, mesmo se classificando pelo World Surf League Championship Tour (CT) para a sua terceira temporada seguida este ano.

Surfista Yago Dora no OI Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha – Fotos: Fabriciano Junior/Survive Photos

“Meu objetivo é vencer a etapa de Noronha. Ano passado eu cheguei muito perto. Numa final apertada, acabei perdendo nos últimos minutos. Senti esse gostinho até o final da bateria e me foi tirado e esse ano espero conseguir a vitória. É um lugar que amo muito e seria incrível vencer lá”, diz, lembrando o terceiro lugar no Havaí. “A final de Pipe foi bem importante para mim. É muito bom começar o ano passando várias baterias chegando na final de um evento muito forte é um bom treino”, reforça.

Para ele, ter feito a final em Noronha no ano passado e vir direto de uma decisão em Pipeline é garantia de confiança para seguir surfando bem. “Só me faz me sentir melhor com o meu surf e continuar num ritmo bom. Esse é o único grande evento que temos confirmado no Brasil até agora no QS o que o torna mais importante ainda. Depois do CT de Saquarema é o campeonato mais importante que a gente tem no nosso País e espero que cada vez mais possa ter etapas desse porte no Brasil”, afirma.

“Competir no Brasil é sempre muito bom. A gente passa a maioria do tempo competindo fora daqui. Quando tem em casa é sempre muito legal. Recebe todo carinho do público, surfa mais confortável”, admite Yago, que em 2018 foi campeão da etapa em Maresias e ano passado também teve como grande resultado a vitória no emblemático US Open QS 10000, em Huntington Beach, Califórnia/EUA.

Surfista Yago Dora no OI Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha – Fotos: Fabriciano Junior/Survive Photos

Em 2020 o surfista catarinense inicia a sua terceira temporada seguida no CT mais confiante e preparado. “Estou bem empolgado. Em 2019 aprendi bastante, sobre mim mesmo e competição. Esse ano me sinto mais pronto e preparado para colher grandes resultados”, revela o surfista, que tem como onda preferida Pipeline, onde conseguiu dois quintos lugares nos dois anos que competiu no CT. “Me identifico muito, coloquei muito tempo e dedicação nessa onda para evoluir”, comenta o atleta, também falando das ondas que precisa melhorar. “Principalmente as direitas de manobra. É um ponto que tenho trabalhado bastante, mas em todas as ondas dá para melhorar sempre”, completa.

Com mais de 100 inscritos de 18 países, a etapa será realizada de terça-feira (11) a domingo (16) e o vencedor garante 5 mil pontos no ranking de acesso ao CT e US$ 15 mil de prêmio, de um total de US$ 100 mil. Além de Yago, o evento contará com outras estrelas brasileiras do CT: Jadson André, atual vencedor, Miguel Pupo, campeão em 2012, e Filipe Toledo, top 4 do ranking 2019.

O Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest é uma realização da World Surf League (WSL) com patrocínios da Oi e Elétron Energy, através da Lei de Incentivo ao Esporte, do Governo de Pernambuco, tendo como proponente o Instituto Incentiva, e da Hang Loose.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo