Tiroteio deixa 2 mortos no Centro de Moscou, capital da Rússia

Um tiroteio ocorrido nesta quinta-feira (19) no Centro de Moscou, capital da Rússia, causou a morte de duas pessoas e deixou pelo menos outras três feridas. O autor dos disparos também morreu.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, um suspeito fortemente armado tentou entrar na sede da FSB (Agência de Inteligência a Rússia), mas foi impedido pelos seguranças.

Testemunhas disseram que houve intensa troca de tiros entre o suspeito e os seguranças.

Policiais russos cercam a área onde ocorreu um tiroteio nesta quinta-feira (19), no Centro de Moscou, capital da Rússia – Foto: Ilya Varlamov/AP

Testemunhas disseram que o suspeito saiu do local correndo e, na rua, efetuou diversos disparos contra o prédio da FSB, sucessora da antiga KGB (Serviço Secreto da União Soviética), e em direção aos pedestres.

Muitas pessoas entraram em pânico e saíram correndo, enquanto outras deitaram no chão na tentativa de escapar dos tiros. Policiais chegaram ao local e conseguiram conter o suspeito, identificado como sendo Yevgeny Manyurov, de 39 anos.

O prédio da FSB foi fechado e isolado, tendo os policiais russos interditado as principais vias públicas da região. A Polícia de Moscou está tratando o caso como incidente doméstico, porém não descartou totalmente a possibilidade de atentado terrorista.

Cinco ambulâncias foram encaminhadas até o local do tiroteio, mas somente duas delas foram utilizadas para o transporte dos feridos.

A polícia ainda não sabe as motivações dos crimes e nem forneceu detalhes sobre o suspeito. A princípio, as autoridades policiais acreditam que havia somente um atirador na região.

A sede da FSB fica localizada a cerca de 1 km do Kremlin, sede do Governo Central da Rússia, uma das regiões mais movimentadas da Rússia e muito procurada por turistas estrangeiros.

No momento do tiroteio, Vladimir Putin estava na sede do governo russo participando de uma coletiva de imprensa anual.

Com informações das Agências Associated Press e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo