Sobe para 28 o número de mortos no Japão, após a passagem do Tufão Hagibis

Equipes de resgate trabalham no distrito de Shibata, na província de Miyagi, no Japão — Foto: Charly Triballeau / AFP Photo

O número oficial de mortos no Japão após a passagem do Tufão Hagibis aumentou para 28 vítimas, segundo informações das autoridades locais. Já o número de feridos é de 177 vítimas, e o de desaparecidos é de 18 pessoas.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, as chuvas continuam caindo em várias regiões do país, mas o tufão perdeu força e já se transformou em tempestade moderada.

O Serviço de Meteorologia do Japão divulgou um comunicado à imprensa informando que a tempestade ainda deve continuar por pelo menos dois dias em várias regiões do país.

O número de vítimas ainda é parcial e pode aumentar nas próximas horas, à medida que as equipes de resgate cheguem até as áreas mais afetadas pela passagem do tufão.

Tufão Hagibis atinge o Japão e áreas residenciais em Nagano são inundadas — Foto: Kyodo / via Reuters

O Tufão Hagibis chegou ao Japão acompanhado por chuvas torrenciais e por fortes rajadas de vento. Causou sérios danos à infraestrutura do país, como inundações e alagamentos, deslizamentos de terra, transbordamento de rios e tombamento de árvores e torres de energia elétrica.

Cerca de meio milhão de residências ficaram sem energia elétrica e sem telefonia fixa. Na manhã deste domingo (13), cerca de 100 mil pessoas ainda permanecem sem luz em suas respectivas casas.

Especialistas acreditam que o Tufão Hagibis foi o mais forte a atingir Tóquio desde 2958. Ele tocou o solo por volta das 19 horas (horário local), em Shizuoka, no Sudoeste da capital japonesa, na península de Izu, na Ilha de Honshu.

As rajadas de vento atingiram os 200 km/h e um terremoto de magnitude de 5,7 graus na Escala Richter atingiu Tóquio lodo após a passagem do tufão.

Imagem aérea mostra áreas residenciais inundadas — Foto: Kyodo / via Reuters

A intensidade das chuvas obrigou as autoridades japonesas a emitirem estado de alerta máximo em várias regiões do país. Os alertas atingiram mais de 6 milhões de pessoas em todo o país, tendo muitas delas sido obrigadas a saírem de suas casas.

Cerca de 27 mil policiais e militares do Exército foram mobilizados para ajudar nas operações de resgate de possíveis vítimas.

O tufão deixou o território japonês por volta das 12 horas (horário local) deste domingo (13) e foi rebaixado a categoria de ciclone extratropical.

As equipes de resgate utilizaram barcos e helicópteros para socorrer vítimas que estavam isolados em áreas alagadas. Uma mulher de 70 anos caiu de uma altura de 40 metros enquanto era resgatada na cidade Iwaki, na Região de Fukushima. Ela chegou a ser socorrida e levada a um hospital, mas não resistiu e morreu.

Equipe de resgate usam barco de borracha para retirar moradores de áreas alagadas em Fukushima, no Japão — Foto: Kyodo News / via AP Photo

Na província de Kawagoe, no Noroeste de Tóquio, salva-vidas em barcos infláveis resgataram um grupo de idosos, alguns em cadeiras de rodas, de um lar de idosos.

O piloto de um helicóptero da Emissora de TV NHK ajudou a resgatar um grupo de moradores que estava no telhado de uma casa. Todos foram salvos e levados a hospitais.

Em Tóquio, o Rio Tama transbordou e inundou as garagens e os andares térreos de alguns prédios e edifícios.

Ainda em Tóquio, 6 tripulantes de um cargueiro com bandeira panamenha desapareceram e outros dois morreram, depois que o navio afundou. Quatro tripulantes foram salvos pela guarda-costeira japonesa.

O tufão Hagibis provocou a queda de uma ponte ferroviária sobre o rio Chikuma, em Ueda — Foto: Kyodo / via Reuters

O Tufão Hagibis também afetou o transporte público em Tóquio e em cidades próximas. Os aeroportos foram fechados e centenas de voos foram cancelados.

Por precaução, as estações de trens e metrô foram fechadas e o tráfego de linhas foi suspenso, incluindo o do trem de alta velocidade (trem-bala).

A passagem do tufão pelo território japonês também afetou o esporte no país. As sessões classificatórias para o Grande Prêmio de Fórmula 1 disputadas em Suzuka foram adiadas de sábado (12) para domingo (13).

Já as três partidas da Copa do Mundo de Rúgbi foram canceladas.

Com informações das Agências France Presse, Reuters e NHK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo