Negócios de Impacto Social geram mais de R$ 100 mil no primeiro semestre do ano em Campo Grande

Empreendimentos estão alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis da ONU e contam com o apoio do Sebrae/MS para se desenvolverem.

Investir em negócios de impacto social é uma alternativa para fomentar o desenvolvimento do país. Em Campo Grande, existem cerca de oito empresas voltadas a apoiar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS), criados pela Organização das Nações Unidas (ONU). Em janeiro deste ano, o faturamento destes empreendimentos fechou em mais de R$ 48 mil, saltando para mais de R$ 100 mil em julho, o que resultou em um aumento de 107% na receita.

De acordo com Leandra Costa, gerente do Living Lab MS, projeto colaborativo do Sebrae/MS e mais 42 instituições públicas e privadas do estado, o aumento do faturamento é um resultado direto de capacitações e mentorias realizadas no laboratório de inovação. Como diferencial, os negócios sociais estabelecem novos marcos políticos para garantir que sistemas de proteção social atinjam, principalmente, a população de baixa renda.

Foto: Divulgação

“Ter empresas que desde a fase de idealização já se pautam neste compromisso e ainda conseguem gerar indicadores de aumento de clientes, faturamento e empregabilidade é muito gratificante. Isto é possível via este projeto onde acompanhamos oito empresas de Campo Grande. Um novo olhar e atuação que aumentam as possibilidades de sucesso”, disse.

As ações das empresas atendidas no Living Lab estão alinhadas aos objetivos definidos pela ONU na Agenda 2030, um plano de ação que aborda questões relacionadas com pessoas, com o planeta e também com a prosperidade. A atuação global trata de temas como a erradicação da pobreza e o desenvolvimento sustentável.

Um exemplo desse tipo de negócio é a Du Bem Produtos Ecológicos, que faz artigos de limpeza com óleo de cozinha reciclado e atende 10 dos 17 objetivos definidos pela ONU na agenda. “A grande importância dos negócios sociais no estado é a movimentação da economia compartilhada, o negócio social abraça essa vertente”, explica a empresária Ana Cristina Franzoloso.

A Du Bem atua em três vertentes: educação voltada para o cuidado com o meio ambiente, empoderamento para geração de renda, e empreendedorismo com a criação de produtos de descarte. Para a sócia da empresa, o resultado só vem da responsabilidade compartilhada. “O negócio só funciona por meio da união da sociedade, gestão pública e iniciativa privada, é o empreendedorismo fomentado por meio do negócio social”.

Negócios de Impacto Social

O Sebrae entende negócios sociais como iniciativas financeiramente sustentáveis, geridas por pequenos negócios, com viés econômico e caráter social e/ou ambiental, que contribuam para transformar a realidade de populações menos favorecidas e fomentem o desenvolvimento da economia nacional. Ao mesmo tempo que resolve ou atenua um problema social ou ambiental, os negócios geram lucros e são uma oportunidade para o micro e pequeno empreendedor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo