Violentos protestos deixam dezenas de feridos em Hong Kong, na China

Dezenas de pessoas foram detidas pela polícia

Manifestantes colocam fogo em uma estação da polícia em Hong Kong, na China – Foto: Reuters

Milhares de pessoas protestaram na manhã deste sábado (03) em Hong Kong, na China, contrariando as determinações do Governo Chinês para que não fossem realizadas novas manifestações.

O Exército Chinês informou que pode reprimir com violência novos protestos. Nesta semana 10 pessoas foram presas acusadas de provocar distúrbios nas ruas da cidade.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, pela primeira vez funcionários públicos participaram das manifestações hoje. Há relatos, ainda não confirmados, de que pelo menos cinco funcionários públicos foram presos.

Os manifestantes voltaram a desafiar as autoridades chinesas e disseram que irão permanecer nas ruas protestando contra os abusos do Governo Chinês.

Um representante dos manifestantes informou que os protestos começaram no Bairro de Mong Kog, tendo as pessoas ultrapassado o local demarcado para o fim das manifestações. Eles atearam fogo em frente a uma estação da polícia, ergueram barricadas em frente a um shopping center e bloquearam um túnel.

Manifestantes voltaram a protestar neste sábado (03) em Hong Kong, na China – Foto: Tyrone SiuReuters

Policiais usaram gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes e efetuaram disparos de armas com balas de borracha.

O Bairro de Mong Kok é densamente povoado e já foi palco de confrontos violentos entre a polícia e ativistas. O protesto foi proibido pela polícia no local, mas foi autorizada pela justiça após um recurso.

Do outro lado da cidade houve uma manifestação em apoio ao governo, tendo muitos participantes levado bandeiras da China e cartazes com os dizeres “dê uma chance à paz”.

A crise em Hong Kong se agrava cada vez mais no território semiautônomo de Hong Kong. As autoridades chinesas ameaçaram os manifestantes e determinaram a prisão de dezenas deles.

Hong Kong é uma ex-colônia britânica, que foi devolvida à China em 1997. Esse território vem registrando nos últimos anos vários confrontos entre manifestantes, que exigem a manutenção da autonomia dessa ilha/região, e policiais e militares do Exército Chinês, que pretendem acabar com essa autonomia.

A crise iniciou com a oposição a um projeto de lei que permitia a extradições para a China de pessoas, acusadas de vários crimes, para o continente.

Com informações das Agências France Presse e Deutsche Welle

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo