Dengue adia estreia de santista João Magalhães nos 100 km

Atleta estava inscrito na tradicional prova de Passatore, na Itália, para buscar a vaga para o mundial de ultramaratona

Apontado como uma grande esperança brasileira nas ultramaratonas, o santista João Magalhães, da equipe Unimes, teve adiada a sua estreia em corridas de 100 km. Ele correria a tradicional 100 KM de Passatore, em Florença, na Itália, no próximo sábado (25), mesma prova que seu treinador Valmir Nunes foi bicampeão, mas foi diagnosticado com dengue há menos de dez dias da prova, obrigando a desistir de seu sonho.

A doença também o tirou do 34º 10 KM Tribuna FM, no último domingo, onde almejava ser o melhor atleta da região, mesmo treinando para uma prova dez vezes mais longa. Com toda a logística pronta, com viagem e hospedagem custeadas pela Unimes, onde estuda Educação Física, a instituição decidiu manter tudo programando para proporcionar essa vivência no ambiente de competição, conhecer pessoalmente como é uma prova desse porte.

Atleta João Magalhães – Foto: Fábio Maradei/FMA Notícias

Ele viaja para a Itália para acompanhar a disputa e manter a meta de correr provas de 100 km no exterior. “Estava muito bem preparado, confiante. Treinei todos os dias em dois períodos e, apesar de ser uma estreia, estava tranquilo”, falou o atleta, que também tem apoio da Tupy Cesta Básica e Fupes/Memorial.

Bicampeão mundial dos 100 km e considerado um dos grandes nomes de todos os tempos em ultramaratonas, Valmir Nunes, que “garimpou” e está “lapidando” a revelação santista, já venceu essa prova na Itália em 1991, com 6h35min39s, e no ano seguinte, com 6h53min03s. “A prova é dura e eu estava treinando para correr abaixo das 7 horas, conforme os treinos do Valmir, e para tentar índice para o Mundial”, contou João.

“Foi frustrante essa dengue. Iria correr os 10 KM em Santos para tentar um novo bom resultado e queria fazer uma boa estreia nos 10 km. Tenho como sonho ser campeão mundial da modalidade e depois iniciar um ciclo olímpico para tentar a vaga para os Jogos de 2024, na maratona, planos que o Valmir conversa muito comigo e estamos bem determinados”, revelou.

Atleta João Magalhães – Foto: Fábio Maradei/FMA Notícias

ESFORÇADO – Além dos treinos, João cursa o terceiro semestre de Educação Física e acredita ser um bom aluno. “Muito esforçado. Gosto muito do meu curso e acredito que por isso, me interesso bastante”, disse o atleta, também agradecendo o patrocínio da Unimes. “Agradeço a todos da Universidade, sem exceção, dos professores que me ajudam na parte da matéria que eu perco por conta de alguns treinamentos até a reitora e o mantenedor que estão acreditando em mim desde o começo”, destacou.

Aos 19 anos, o atleta ainda é novo nas corridas, mas já garantiu resultados expressivos. Nos 10 KM Tribuna FM, correu nos dois últimos anos, vencendo a categoria 18-19 anos, sendo que em 2018 terminou com 31min12s, com o melhor tempo sub20 em corridas de rua. Na longa distância, venceu a Travessia Bertioga-Maresias 75 km, batendo o recorde em 2018 e foi o terceiro na XtremeRace, na Argentina. “Uma prova diferente, de 60 km na montanha, onde fui o melhor brasileiro e destaque”, lembrou.

Antes das corridas, ele jogava futebol e atuou na Europa, mas decidiu voltar para o Brasil e iniciar nas corridas. “Minha posição no campo era volante e algumas pessoas brincavam, falando que eu tinha três pulmões, por não parar de correr. Quando conheci o Valmir, acho que foi paixão à primeira vista pela corrida de longa distância, desde então nunca deixei de treinar”, completou.

O mantenedor da Unimes, Rubens Viegas Júnior, lamentou o ocorrido, mas acredita que o atleta ainda garantirá grandes resultados ao Brasil. “Temos uma grande identidade com o esporte, por ter a primeira Faculdade de Educação Física do Brasil e por onde passaram grandes nomes, até mesmo o Rei Pelé. Uma pena o João não conseguir correr dessa vez, mas ele é muito jovem, bem orientado e vai chegar longe, com certeza”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo