Ciclone Kenneth volta a atingir Moçambique e deixa 38 mortos

O Ciclone Kenneth voltou a atingir o Moçambique nesta segunda-feira (29), fazendo com que o número de mortes aumentasse para 38 vítimas. A destruição é enorme e centenas de pessoas encontram-se desabrigadas.

De acordo com informações das principais agências internacionais, essa é a primeira vez na história do país em que se registrou a passagem de dois ciclones por Moçambique em uma única temporada.

Em março deste ano, o Ciclone Idai atingiu o país, causando a morte de 600 pessoas. Já o Ciclone Kenneth causou a morte de pelo menos 38 pessoas até o momento.

Moradores de Pemba, em Moçambique, são vistos nesta segunda-feira (29) atravessando uma rua inundada após a passagem do ciclone Kenneth. — Foto: Mike Hutchings/Reuters

As autoridades locais confirmaram agora a pouco que a passagem do ciclone pelo país afetou mais de 168 mil pessoas. As chuvas torrenciais e as fortes rajadas de vento, de até 280 km/h, deixaram um rastro de destruição, além de terem provocados inundações e alagamentos, quedas de árvores e muros, e desabamentos de prédios e casas.

A velocidade do vento já é considerada a maior da história do país e o acúmulo de chuva chegou a 150 mm em 24 horas.

Os maiores danos ocorreram na cidade de Pemba, capital da Província de Cabo Delgado, no Nordeste do país, a cerca de 2,5 mil km da capital Maputo.

Vários países enviaram ajuda humanitária para Moçambique, mas vários aviões não puderam decolar e/ou aterrissar no país por causa das fortes chuvas.

Um socorrista é visto nesta segunda-feira (29) ajudando moradores a atravessar em um barco, uma rua inundada em Pemba, Moçambique. — Foto: Mike Hutchings/Reuters

Várias cidades de Moçambique encontram-se isoladas, sem água potável e sem energia elétrica. Os serviços de telefonia móvel e fixa foram suspensos.

Equipes de resgate estão conseguindo chegar em áreas isoladas com a ajuda de helicópteros. Na Ilha de Ibo, onde uma tempestade causou a destruição de centenas de casas, voltou a chover forte na região, dificultando a chegada dos socorristas.

Várias estradas estão interditadas, impedindo a chegada das equipes de resgate e da ajuda humanitária a vilarejos e cidades.

Equipes de resgate foram vistas neste domingo (28) passando por casas submersas em um bairro inundado em Pemba, Moçambique, após a passagem do ciclone Kenneth. — Foto: Mike Hutchings/Reuters

Neste momento chega à redação do Campo Grande Notícias, a informação de que na Cidade de Pemba, a água de um rio que transbordou começou a recuar. Em alguns bairros, no entanto, a água permanece na cintura das pessoas.

O Serviço de Meteorologia de Moçambique rebaixou o Ciclone Kenneth para tempestade tropical. A previsão para as próximas horas é de instabilidade em todo o país, com possibilidade de chuvas moderadas.

Com informações das Agências France Presse e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo