Pesquisa revela que jovens bem-sucedidos ganham espaço em site de relacionamento

Engana-se quem pensa que sugar daddy é exclusividade dos homens mais velhos

Foto: Divulgação

Quando pensamos em um “sugar daddy” quase sempre relacionamos com a figura de um homem mais velho, maduro, com excelente situação financeira e profissional. Mero clichê. Os jovens na faixa dos 30 aos 36 anos representam 28% dos homens cadastrados na plataforma de relacionamento Meu Patrocínio. Empresários e igualmente bem-sucedidos, eles optaram por uma relação sugar com suas babies. No modelo “sugar”, cabe ao homem ser o provedor da relação, oferecendo apoio financeiro, de carreira e, claro, emocional às suas escolhidas. Mas por que eles estão migrando para este tipo de relação?

Para impressionar o seu grupo social. É a primeira resposta. Estar ao lado de uma jovem linda e exuberante, faz com que ele se destaque também e, além de tudo, alimenta o ego masculino. Os amigos questionam onde encontrou uma mulher assim e, ao descobrirem o segredo, passam a procurar a sua cara metade na mesma rede de relacionamento. Este é um dos principais fatores do crescimento deste perfil na rede sugar.

A relação sugar é, por princípio, livre de stress. Tudo fica às claras desde o início, o que facilita a vida dos mais jovens que não precisam perder tempo com interesses ocultos nas relações. Além disso, eles passam a ter, desde cedo, a satisfação pessoal de servir como um mentor para a sua baby. Influenciar na escolha e no desenvolvimento uma carreira, indicar os caminhos a seguir são sensações muito positivas que elevam o prazer de fazer a diferença na vida de alguém.

Outro ponto destacado pelos jovens daddies é que na fase da vida em que estão ainda buscando o seu próprio reconhecimento pessoal e profissional, valorizando a carreira, as babies são mais compreensivas e cobram muito menos. Elas entendem que eles não têm 100% do tempo disponível para dar atenção, que estão ocupados com os seus próprios objetivos e acabam fornecendo a eles o apoio que necessitam, sem exigências.

Por terem acordado as condições da relação, o jovem daddy e a sua sugar sentem-se mais livres na relação. Longe das cobranças habituais que corroem os relacionamentos, eles alegam que na relação sugar há uma conveniência para as duas partes envolvidas. Desde que ele esteja feliz, proporcionará a sua baby tudo o que ela deseja, parte do arranjo firmado entre eles. Sim, ele está no comando!

Renato F., jovem empresário de 36 anos, conta que “será difícil buscar uma outra relação fora do modelo sugar. Depois de experimentar, não vou me contentar com menos. A maioria dos meus amigos ainda está na fase de buscar companhia em barzinhos, na balada. Fico cansado e com preguiça só de pensar. Aqui percebi que tenho o poder de escolha, posso ter a garota que eu quiser, quando quiser, sem precisar me submeter a joguinhos de sedução. Enquanto estou satisfeito com minha baby está tudo bem. Quando não dá mais, é só buscar outra. As opções são muitas”.

Para as babies, a possibilidade de encontrar alguém com todas as características de um daddy que, além de tudo, seja jovem e atraente é o sonho de consumo. Trata-se de um “benefício extra” nas inúmeras vantagens que a relação sugar oferece, garantem elas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo