De olho na safrinha de milho 2019, produtores planejam chegar a uma produtividade de 200 sacas/hectares

Estabilidade e precocidade aliadas ao potencial de produtividade são as características que os produtores buscam nos híbridos ao planejar a semeadura da segunda safra de milho

De acordo com o 3º Levantamento de Grãos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), os produtores devem colher uma safra recorde de 238,4 milhões de toneladas essa safra, o que representa um aumento de 10,6 milhões de toneladas em relação à safra passada. Além disso, com as condições climáticas favoráveis até o momento, especialmente para a soja, muitos lugares conseguiram acelerar o plantio e já começaram a colher ainda em 2018.

Segundo o líder comercial nacional da marca Sementes Agroceres, Rodrigo Nuernberg, esse cenário positivo poderá contribuir para uma excelente safrinha, já que o plantio do milho deve começar em uma janela mais favorável. E para ajudar o produtor ainda mais, a Sementes Agroceres, marca com mais de 70 anos de atuação no mercado brasileiro, traz novos híbridos para a safrinha 2019 com o objetivo de aumentar o potencial produtivo para o agricultor.

Foto: Divulgação

Para a safrinha Norte (MG, GO, SP e MATOPIBA), a marca disponibilizará o AG 8740 PRO3®, um híbrido precoce que oferece um alto potencial produtivo devido à sua elevada adaptação ao verão dessas regiões. Outro lançamento é o AG 8700 PRO3®, produto direcionado para os estados de Mato Grosso, Goiás, Tocantins e Minas Gerais, os quais apresentaram ótimos resultados que puderam ser observados pelos produtores que fizeram ensaios na última safra.

“Sou cliente da Sementes Agroceres há vários anos e sempre plantei o AG 7088 PRO3 e o AG 8088 PRO2®. Venho testando outros híbridos há algum tempo em minha produção e, na última safra de verão, por exemplo, plantei o AG 8700 PRO3® em uma área total de 2000 ha. De todos os híbridos que testei, ele foi o mais produtivo, atingindo 172 sacas/hectare”, afirma Cristian Dalben, produtor agrícola da região de Sorriso, Mato Grosso. “O que me deixou mais satisfeito foi a precocidade aliada ao seu alto teto produtivo”, completa Dalben.

Nuernberg ainda afirma que esses híbridos são ótimas opções para os produtores que precisam encurtar o ciclo da safrinha e, ainda, manter sua potencial produtividade. Além disso, a tecnologia VT PRO3®, presente nesses produtos, auxilia na proteção contra o ataque da Diabrotica speciosa (larva-alfinete) na raiz do milho e de lagartas da parte aérea, além de oferecer maior flexibilidade no manejo de plantas daninhas.

Para o agricultor Fábio Coop, de Rio Verde, Goiás, a produtividade foi ainda maior, alcançando 197 sacas/hectare. “A revenda me indicou esse lançamento por causa de sua estabilidade de produção e decidi testar”, afirma Coop. “O teste que fiz foi em área irrigada e o único diferencial no manejo foi adubação com base em taxa variável simples e a utilização de 400 kg por hectare de ureia parcelado em duas vezes”, completa.

A marca também contará com dois novos híbridos para a safrinha Sul (PR, MS e SP): o AG 8480 PRO3® e o AG 9050 PRO3®. O primeiro é recomendado para plantios de abertura e alia um conjunto de benefícios como alto potencial de produtividade, sanidade foliar e grãos. Já o segundo tem ciclo superprecoce e um alto potencial produtivo.

“Além de plantar 8780 PRO3® e o AG 9000 PRO3®, testei o AG 9050 PRO3® por causa de sua precocidade e sanidade. Além disso, um ponto forte dele é a resistência ao acamamento. Plantei algo em torno de 150 hectares e fiquei muito contente com o material”, afirma Vicente Missio, produtor da região de Palotina, Paraná. “Atingi 143 sacas/hectare com uma adubação de cama de aviário mais uma adubação química de 10 15 15 e fungicida com aplicação aérea após o apendoamento, junto com inseticida para pulgão. Na safrinha 2019, continuarei plantando o AG 8780 PRO3® e o AG 9050 PRO3®, pois vão muito bem em minha área e busco atingir 200 sacas/hectare”, completa Missio.

“Investimos em pesquisa e desenvolvimento para entregar um portfólio de híbridos de milho com grande amplitude de plantio, estabilidade, sanidade e produtividade”, acrescenta Nuernberg. “Enxergamos os produtores brasileiros como grandes parceiros e direcionamos todos os esforços na entrega de produtos que contribuam com a rentabilidade dos negócios agrícolas”, completa.

Além dos produtos mencionados, a Sementes Agroceres colocará à disposição do produtor híbridos de RefúgioMax, a primeira marca de sementes exclusivas para o plantio de refúgio de milho. Oferecida desde a safra de verão 2016/17 e safra de inverno 2017, a marca oferece sementes não-Bt de alto potencial produtivo. “São quase dez anos para introduzir uma nova tecnologia no mercado. Preservá-las é uma responsabilidade de todos dentro da cadeia produtora de grãos e fibras”, explica Nuernberg. “O refúgio estruturado ajuda a reduzir a população de insetos resistentes e, assim, visa a proteção do potencial de produtividade da lavoura”, acrescenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo