Jovem é resgatado com vida após ficar por 49 dias à deriva no Oceano Pacífico

Um jovem indonésio de 19 anos, identificado como sendo Aldi Novel Adilang, foi resgatado no dia 31 de agosto, próximo à Ilha de Guam, após ficar 49 dias à deriva no Oceano Pacífico. Ele foi localizado por tripulantes de um navio com bandeira do Panamá.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, a fato somente foi divulgado hoje, após o navio que o resgatou ter ancorado em um porto no Japão.

O jovem disse as autoridades japonesas, que durante os 49 dias que ficou à deriva, se alimentou de peixes e bebeu água filtrada do mar.

Jovem indonésio é regatado com vida após ficar 49 dias à deriva no Oceano Pacífico – Foto: Consulado da Indonésia em Osaka/WhatsApp/Reprodução

O incidente aconteceu quando Aldi Novel Adilang foi escalado para trabalhar em uma armadilha para peixes, que fica localizada em uma cabana flutuante presa a um cabo.

Uma forte tempestade atingiu a região aonde Aldi Novel Adilang estava, fazendo com que o cabo que prendia a cabana se rompesse, levando-a para o alto mar.

O jovem trabalhava como acendedor de lâmpadas nas armadilhas, conhecidas como ‘rompong’, localizada a 125 km de distância mar adentro. As fortes ondas carregaram a cabana flutuante para o alto mar.

O pai do rapaz disse que o filho trabalhava nesta função desde os 16 anos, e que nunca tinha ocorrido qualquer tipo de incidente.

Em nota, o diretor da empresa proprietária das armadilhas disse que a cada semana alguém ia até os respectivos locais recolher os peixes e entregar novos suprimentos de comida, água, combustível e medicamentos.

Jovem indonésio é regatado com vida após ficar 49 dias à deriva no Oceano Pacífico – Foto: Consulado da Indonésia em Osaka/WhatsApp/Reprodução

Ao todo, a empresa possui 50 cabanas flutuantes, que ficam ancoradas no fundo do mar por um forte cabo. A cabana/armadilha flutuava graças a boias amarradas ao seu redor.

No entanto, em meados de julho deste ano, o cabo se rompeu em decorrência de uma tempestade, deixando a cabana e Aldi Novel Adilang à deriva.

Quando foi encontrado, o rapaz tinha apenas alguns dias de suprimentos, mas conseguiu sobreviver pescando alguns peixes, os quais foram cozinhados e assados na cabana, de onde retirou parte da madeira para acender o fogo.

Em nota, o consulado da Indonésia em Osaka, no Japão, disse que 10 navios passaram pelo jovem em alto mar, antes que o navio com bandeira do Panamá, o MV Arpeggio, o resgatasse com vida.

Aldi Novel Adilang tentou chamar a atenção da tripulação do Navio MV Arpeggio agitando um pano, mas, ao perceber que ninguém o tinha avistado, decidiu enviar um sinal de rádio de emergência.

O capitão do MV Arpeggio, assim que recebeu a mensagem, determinou que a rota fosse alterada, para que o resgate fosse efetuado. O jovem foi socorrido e recebeu os primeiros socorros, tendo posteriormente se alimentado.

Em entrevista a um portal de notícias local, o ‘TribunManado’, o jovem Aldi disse acreditar que iria morrer no mar, e que pensou em se suicidar, pulando no mar.

Ainda segundo o jovem, ele desistiu de se matar ao se lembrar dos conselhos de seus pais, de rezar sempre em momentos difíceis. Com ele foi encontrado uma bíblia.

O capitão do navio que resgatou o jovem, entrou em contato com a Guarda Costeira de Guam, que o aconselhou a seguir a rota já estabelecida para o Japão, e que encaminhasse o jovem para o Consulado da Indonésia em Osaka.

O jovem Aldi Novel Adilang foi levado de volta para seu país no dia 8 de setembro, acompanhado por funcionários do consulado.

Com informações das Agências Reuters e France Presse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo