Terremoto de 6,1 graus na Escala Richter atinge o Oeste do Japão

Um forte terremoto de magnitude de 6,1 graus na Escala Richter atingiu na noite deste domingo (17/06) o Oeste do Japão, causando destruição e mortes. O número oficial de vítimas (mortos e feridos) ainda é incerto.

De acordo com as primeiras informações, divulgadas agora a pouco pelas principais agências internacionais de notícias, os serviços de transporte foram suspensos em várias regiões do país. O trem-bala parou de funcionar e dezenas de voos foram cancelados.

A parede de uma escola em Osaka, no Japão, ruiu neste domingo (17/06), causando a morte de uma criança de 9 anos – Foto: Shuichiro Sugiyama/Kyodo News via AP

As primeiras informações revelam que três pessoas morreram, sendo dois idosos e uma criança de nove anos. Há centenas de feridos e desaparecidos.

Equipes de emergência, formadas principalmente por policiais, bombeiros, militares do Exército e voluntários, já foram mobilizadas e estão neste momento seguindo para as regiões mais afetadas.

O desmoronamento de prédios e a interrupção nos serviços de telefonia e eletricidade estão dificultando os trabalhos de busca e salvamento. Os desabrigados estão sendo levados para abrigos públicos.

As autoridades japonesas informaram que até o momento não foi necessário emitir alerta de tsunami, apesar de terem sido avistadas muitas ondas no litoral.

Trata-se do mais forte terremoto já registrado na cidade de Osaka, a segunda maior do país, segundo informações da Agência Meteorológica do Japão, que passou a registrar esses dados em 1923.

Garrafas quebradas podem ser vistas no chão de um mercado em Osaka, no Oeste do Japão, após o terremoto – Foto: Twitter/@tw_hds/via Reuters

O porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga, informou que o número de feridos chega a 230 vítimas, e que todas foram socorridas e encaminhadas a hospitais. A criança de nove anos que morreu foi atingida por um muro de uma escola, que desabou sobre ela.

As outras duas vítimas fatais, dois idosos de 80 e 85 anos morreram em casa, na cidade de Osaka. Os corpos já foram resgatados e levados para hospitais da cidade.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, informou que o governo está avaliando os danos causados a infraestrutura das cidades atingidas, mas ressaltou que a prioridade é a segurança das pessoas.

Já o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS – sigla em inglês), registrou o abalo sísmico por volta das 19h58min (horário de Brasília), na cidade de Osaka, na Ilha de Honshu, com epicentro a 10 km de profundidade e a cerca de 500 km de distância da capital Tóquio.

As autoridades japonesas informaram agora a pouco que o tremor alcançou o nível 6 em Osaka, de 7 graus na escala japonesa. Já em Quioto o abalo sísmico atingiu o nível 5.

Passageiros são vistos andando sobre os trilhos do trem em Osaka, no Japão – Foto: Kyodo/via Reuters

A rede pública de TV, a NHK, mostrou imagens de prédios que ruíram nas cidades de Osaka e Takatsuki. Algumas casas pegaram fogo, fazendo com que as pessoas deixassem a região.

Já a companhia de energia elétrica Kansai informou agora a pouco que cerca de 170 mil residências estão sem luz na cidade de Osaka, na Região de Hyogo.

As prefeituras de Osaka, Shiga, Hyogo, Kioto e Nara informaram que os serviços de energia elétrica estão sendo restabelecidos aos poucos nessas regiões, mas que os serviços de transporte permanecem suspensos.

O Aeroporto Internacional de Kansai, em Osaka, o mais importante da região, permanece fechado para pousos e decolagens. Ao todo, 41 voos foram cancelados.

As autoridades japonesas informaram ainda que os abalos sísmicos não afetaram nenhum dos 15 reatores nucleares do país.

O Japão está localizado no chamado ‘Anel de Fogo do Pacífico’, umas das zonas sísmicas mais ativas do mundo. Os tremores nessas áreas são frequentes, mas a maioria é de baixa intensidade.

Com informações das Agências France Presse, Reuters e NHK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo