Pesquisa revelará se pacientes em uso de medicamentos seguem corretamente o tratamento

No mês de maio, quando se comemora o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, os conselhos de Farmácia realizarão pesquisa em busca da resposta

Os danos causados por medicamentos, além de graves, custam R$ 60 bilhões ao ano para o Sistema Único de Saúde – SUS. A cada real investido no fornecimento de medicamentos, o governo gasta cinco reais para tratar as morbidades relacionadas a medicamentos (MRMs). As mais onerosas são as causadas por reações adversas (39,3% dos gastos), pela não adesão ao tratamento (36,9%) e pelo uso de doses incorretas (16,9%). Metade dos casos poderia ser evitada com uma supervisão mais cuidadosa e efetiva dos tratamentos (UFRGS/2017). Atentos ao problema, os conselhos de Farmácia se uniram em uma campanha nacional de promoção da adesão às terapias medicamentosas e ao seu uso seguro e racional. A iniciativa é em comemoração ao Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, 5 de maio.

O público-alvo da campanha não foi escolhido por acaso. Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 70% dos pacientes com hipertensão, diabetes ou dislipidemias – em sua maioria, usuários de vários medicamentos –, não conseguem controlar suas doenças mesmo tendo diagnóstico e prescrição de médicos. Em outro estudo, o órgão apurou que 82% dos pacientes que utilizavam 5 ou mais medicamentos de uso contínuo o faziam de forma incorreta ou demonstravam baixa adesão ao tratamento. Um em cada três pacientes abandonou algum tratamento, 54% omitiram doses, 33% usaram medicamentos em horários errados, 21% adicionaram doses não prescritas e 13% não iniciaram algum tratamento prescrito.

Além de promover a conscientização da população sobre a importância do acompanhamento farmacêutico para a prevenção de danos e o uso seguro dos medicamentos, os conselhos querem utilizar a campanha para contribuir de forma mais efetiva para a reversão dessas estatísticas. Durante todo o mês de maio, os voluntários engajados na iniciativa buscarão serviços públicos de saúde, como as UBSs e as farmácias públicas, para verificar se pacientes polimedicados têm acesso e aderem ao tratamento medicamentoso ou não.

A proposta é envolver, também, os farmacêuticos dos serviços onde será feita a coleta dos dados, para que eles, ao entrevistar seus pacientes, tenham uma melhor compreensão do problema, e consigam traçar estratégias para resolvê-lo. O estudo será feito em 24 das 27 unidades federativas. A expectativa é divulgar o resultado durante o Congresso do Conselho de Secretários Municipais de saúde, em julho. Os conselhos de Farmácia esperam sensibilizar os gestores públicos.

AÇÃO SOCIAL NO DIA 5 DE MAIO

No dia 5 de maio – Dia do Uso Racional de Medicamentos os farmacêuticos promoverão atendimentos gratuitos à população. Será o “Farmacêuticos em ação + Saúde para você”. Um dia de muitos serviços farmacêuticos na Capital e interior do Estado.

“O farmacêutico é o profissional da saúde mais próximo da população, e queremos mostrar que estamos aptos e sempre prontos para ajudar. E esse assunto sobre o uso racional de medicamentos é muito importante e precisa ser levado a sério para evitar transtornos mais sérios e até mesmo irreversíveis para a saúde”, destaca a presidente do CRF/MS, Kelle Slavec.

Na Capital o evento será na Paróquia Nossa Senhora das Graças (Rua Henrique Barbosa Martins, 875 Bairro Nova Lima), das 8h às 12h.

Atendimentos:

  • Aferição de pressão
  • Teste de Glicemia Capilar
  • Orientação sobre o uso correto de medicamentos
  • Recolhimento de medicamentos vencidos
  • Consultório Farmacêutico
  • Orientação de farmacêuticos hospitalares, atuantes na área oncológica e medicamento magistral (manipulados)
  • Atendimento especializado a saúde indígena

Em Dourados a ação será realizada na Praça Antônio João, no centro da cidade. O evento tem apoio: Anfarmag.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo