Ataques aéreos próximo a Damasco (Síria) matam 31 pessoas, incluindo crianças

Foto: Hamza Al-Ajweh/AFP

Uma série de ataques aéreos ocorridos nesta quarta-feira (07/02) próximo a Damasco, capital da Síria, causou a morte de pelo menos 31 pessoas, incluindo 12 crianças, e deixou outras 65 feridas, das quais sete em estado grave.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, os ataques se concentraram em Ghouta Ocidental, mas também atingiram as cidades de Douma, Beit Sawa e Hammouriyeh, subúrbios de Damasco controlados por rebeldes/insurgentes que exigem a saída do presidente/ditador Bashar al-Assad do poder.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), cuja sede fica localizada em Londres, capital da Inglaterra, os bombardeios aéreos atingiram bairros onde residem civis, e não apenas bairros controlados por rebeldes, como alegam as autoridades sírias.

Já o Governo da Síria afirmou que os ataques visaram apenas áreas controladas por rebeldes, a quem chamam de terroristas, e que alguns civis podem ter sido mortos por terem entrado nessas regiões.

Na manhã de terça-feira (06/02), a Organização das Nações Unidas (ONU) pediu ao governo sírio e aos rebeldes, um cessar-fogo humanitário imediato, de pelo menos 30 dias, para permitir a entrada de ajuda para os civis que se encontram sem alimentos e sem medicamentos.

Representantes da ONU perceberam que a população de Ghouta Ocidental, controlada por rebeldes, está sem receber ajuda humanitária desde novembro de 2017.

A Síria encontra-se em Guerra Civil desde 2012 e várias cidades foram totalmente destruídas. Segundo dados da ONU, o número oficial de mortos e de aproximadamente 515 mil vítimas e o de feridos é de mais de 759 mil. Já o número de refugiados é de aproximadamente 5 milhões.

Com informações das Agências France Presse e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo