Explosões durante funeral deixam 19 mortos e 16 feridos no Afeganistão

Policiais patrulham área onde ocorreram as explosões em Cabul, no Afeganistão – Foto: Mohammad Ismail/Reuters

Uma série de explosões ocorrida na manhã deste sábado (03/06) em Cabul, capital do Afeganistão, causou a morte de pelo menos 19 pessoas e deixou outras 16 feridas, das quais 7 em estado grave. O atentado aconteceu durante o funeral de um homem, morto durante manifestações contra o atual governo.

As autoridades afegãs, no entanto, afirmam que as explosões mataram apenas seis pessoas e que deixaram outras 87 feridas. Ainda não há informações sobre a autoria do ataque.

Todas as vítimas (fatais e feridos) foram levadas para o Hospital de Emergências de Cabul. Os corpos estão passando por exames de necropsia e os feridos estão sendo tratados e medicados.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, a vítima que estava sendo sepultada foi identificada como sendo Mohammad Salim Izadyar, filho do vice-presidente do Senado.

Testemunhas disseram que Mohammad Salim Izadyar estava participando de protestos que exigiam a renúncia do presidente Ashraf Gani, quando um ataque com caminhão-bomba, devastou um quarteirão inteiro.

Carros que estavam estacionados foram destruídos e prédios próximos ficaram seriamente danificados. Até o momento não há informações sobre os autores deste atentado.

O chefe do Governo Afegão, Abdullah Abdullah, e o ministro de Assuntos Exteriores do país, Salahuddin Rabbani, estavam presentes ao funeral, mas ambos não ficaram feridos.

Já o Talibã, um dos grupos radicais acusados de cometer atos terroristas no país, divulgou um comunicado afirmando não ter qualquer responsabilidade sobre o atentado.

O porta-voz do Talibã, Zabihullad Mujahid, disse que os ataques podem ter sido causados por “inimigos que se encontram dentro do poder executivo Afegão”. Ele pediu a todos os cidadãos afegãos que se mantenham fortes e unidos.

Analistas internacionais ouvidos pela equipe de reportagem afirmam que o atentado a bomba ocorrido na quarta-feira (31/05) em Cabul, capital do país, no início do mês mulçumano sagrado do Ramadã, foi um dos mais devastadores desde a intervenção militar dos Estados Unidos (EUA), que em 2001 invadiu o Afeganistão e derrubou os líderes do Talibã.

A partir deste momento, houve um aumento significativo nos números de atentados, ataques e violência urbana em todo o país.

Com informações das Agências Reuters e France Presse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo