Explosões atingem comboio de ônibus em Aleppo, no Norte da Síria

Um ataque contra um comboio de ônibus com civis causou a morte de pelo menos 16 pessoas neste sábado (15/04) em Aleppo, no Norte da Síria – Foto: Reuters

Duas fortes explosões atingiram na manhã deste sábado (15/04) um comboio de ônibus em Aleppo, no Norte da Síria, causando a morte de pelo menos 16 pessoas e deixando outras 32 feridas. As autoridades sírias acreditam que as explosões foram um atentado terrorista, apesar de nenhum grupo ter assumido o ataque.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), cuja sede fica localizada em Londres, capital da Inglaterra, informou que as explosões foram provocadas aparentemente por bombas, instaladas no asfalto e/ou lançadas contra os veículos.

Um jornal do Hezbollah, aliado do Governo da Síria, disse que o ataque foi cometido por um suicida, que detonou o carro que dirigia quando se aproximou do comboio.

Imagens divulgadas pelas principais agências internacionais de notícias mostram o que parece ser o local de uma das explosões, com corpos ensanguentados espalhados pelo chão e pelo menos três focos de incêndio. Duas grandes colunas de fumaça negra subiam aos céus.

As explosões danificaram praticamente todos os ônibus, tendo alguns sido seriamente danificados. Por algum tempo não era possível ver os veículos, por causa da densa fumaça que encobria a região do ataque.

Uma densa nuvem de fumaça negra foi vista a distância em Aleppo, na Síria, após o ataque deste sábado (15/04) – Foto: Reuters

As autoridades sírias disseram que o atentado ocorreu na Região de Rashidin, nos arredores da Cidade de Aleppo, onde dezenas de ônibus transportando civis indefesos deixavam a região sitiada.

O Governo da Síria e representantes dos rebeldes, que lutam para derrubar do poder o presidente/ditador Bashar al-Assad, decidiram fazer uma trégua na Guerra Civil para que a população civil, principalmente crianças e mulheres, pudessem deixar a área em segurança. O acordo, no entanto, parece que não está sendo cumprido por uma das partes.

Neste momento chega à redação do Campo Grande Notícias, a informação de que as autoridades sírias confirmaram que as explosões foram provocadas por dois suicidas, que detonaram seus veículos carregados com explosivos assim que se aproximaram do comboio de 75 ônibus que transportava civis, além de ajuda humanitária, como alimentos e medicamentos.

Os ônibus estavam estacionados em Rashidin, setor de Aleppo controlado pelos rebeldes. Os insurgentes acreditam que o ataque tenha sido cometido por forças leais a Bashar al-Assad.

Entre a manhã de sexta-feira (14/04) e a madrugada de sábado (15/04) foram retiradas em segurança das cidades de Fua e Kafraya, nos arredores de Aleppo, cerca de 5 mil pessoas. Os moradores das duas localidades são favoráveis a Bashar al-Assad, não tendo havido ataques contra o comboio.

Um repórter da Agência AFP disse que no local das explosões havia muitos cadáveres espalhados pelo chão, alguns completamente carbonizados. Entre as vítimas havia corpos de crianças de mulheres, alguns mutilados.

Por causa das explosões, a evacuação de civis das regiões próximas a Aleppo foi suspensa temporariamente, mas a retirada de todos deve recomeçar neste domingo (16/04).

Testemunhas disseram que muitos civis entraram em pânico após a explosão, e que muitos correram em várias direções, tentando fugir de um possível ataque.

Com informações das Agências France Presse e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo