Bombardeio aéreo deixa 25 mortos e 53 feridos em Aleppo, no Norte da Síria

Ambulância destruída em ataque aéreo é vista em bairro de Aleppo, no Norte da Síria – Foto: Defensa Civil Síria/AP

Ambulância destruída em ataque aéreo é vista em bairro de Aleppo, no Norte da Síria – Foto: Defensa Civil Síria/AP

Novos bombardeios aéreos ocorridos na tarde deste sábado (24/09) em Aleppo, no Norte da Síria, causou a morte de pelo menos 25 pessoas e deixou outras 53 feridas, a maioria mulheres e crianças.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, os aviões que participaram do ataque não foram identificados, mas testemunhas disseram que podem ser da Força Aérea Síria.

O número oficial de vítimas pode aumentar nas próximas horas, já que muitas pessoas se encontram soterradas sob os escombros de prédios, residências e estabelecimentos comerciais.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), cuja sede fica localizada em Londres, na Inglaterra, informou que dezenas de feridos estão em estado grave e que várias pessoas permanecem desaparecidas, provavelmente soterradas sob os escombros.

Equipes de resgate foram mobilizadas, mas elas estão tendo dificuldade para socorrer as vítimas, por causa dos bombardeios que continuam sendo realizados.

A Unicef, Fundo das Nações Unidas para a Infância, informou agora a pouco que cerca de 2 milhões de pessoas que residem em Aleppo sofrem com a falta de água, e que existe racionamento de comida na região.

Intensos bombardeios e ataques danificaram a Estação de Bombeamento de Água em Bab al-Nairab, que abastece a cidade de Aleppo e imediações. O fornecimento de energia elétrica na região também foi afetado e os ‘cortes’ de luz são frequentes.

Testemunhas disseram que aviões de combate, os quais não foram identificados, sobrevoaram a cidade antes de despejarem suas bombas. Acredita-se que as aeronaves sejam sírias e/ou russas.

O bombardeio aéreo atingiu os bairros de Kalasa, Bustan al Qasr, Marya, Bab al Nairab, Tariq al Bab e Ard al Hamra, que já se encontram em ruínas.

A representante da Unicef na Síria, Hanaa Singer, informou que os intensos combates e bombardeios em Aleppo impedem a chegada de trabalhadores para fazer a manutenção na Estação de Bombeamento de Água.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas deve se reunir nas próximas horas, em caráter emergencial, para debater a situação na Síria.

Com informações das Agências France Presse e Associated Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo