Tiroteio em boate deixa pelo menos 50 mortos e 53 feridos em Orlando (EUA)

Policiais e agentes do FBI impedem a passagem de pessoas em rua interditada próxima a boate em Orlando (EUA), palco de um tiroteio ocorrido neste domingo (12/06) – Foto: Phelan M. Ebenhack/AP Photo

Policiais e agentes do FBI impedem a passagem de pessoas em rua interditada próxima a boate em Orlando (EUA), palco de um tiroteio ocorrido neste domingo (12/06) – Foto: Phelan M. Ebenhack/AP Photo

Um tiroteio ocorrido na madrugada deste domingo (12/06), por volta das 02h35min (horário de Brasília), em uma boate gay que localizada na cidade de Orlando, no Estado da Flórida, nos Estados Unidos (EUA), causou a morte de pelo menos 50 pessoas e deixou outras 53 feridas, das quais sete em estado grave. O autor do ataque também morreu, provavelmente atingido por policiais.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, o suspeito foi identificado como sendo Omar Saddiqui Mateen, de 29 anos, e embora tenha nascido nos EUA, agentes do FBI (Agência de Inteligência Norte-Americana), acreditam que ele tenha ligações com insurgentes do Talibã, grupo terrorista cuja base fica localizada no Afeganistão.

O número oficial de mortos ainda não foi oficialmente confirmado, mas as autoridades acreditam que os 50 mortos já identificados faça deste o ataque mais mortal desde 2007, quando 32 pessoas morreram na Universidade Virgínia Tech.

O prefeito de Orlando, Buddy Dayer, concedeu agora a pouco uma entrevista coletiva, ao lado de representantes da polícia local, de agentes do FBI, de médicos, e de um líder muçulmano, para lamentar as mortes de inocentes. Ele declarou também que as responsabilidades pelo ocorrido serão devidamente apuradas e, que caso haja outro atirador, ele será identificado e detido.

Há sangue por todos os lados. Depois que verificamos que não havia mais explosivos, conseguimos entrar e ver que o número de mortos era muito maior do que o que havíamos pensado”, afirmou o prefeito Buddy Dayer.

A Casa Noturna Pulse é muito conhecida na região e bastante frequentada por simpatizantes LGBT. Até o momento não se sabe como o suspeito teria conseguido entrar no local armado.

Equipes de resgate, policiais e bombeiros rapidamente chegaram ao local e isolaram toda a região. Várias ruas e avenidas foram interditadas.

Os corpos das vítimas fatais foram resgatados e levados a um hospital para serem identificados. Alguns somente poderão ser identificados através de exames de DNA.

Já os feridos foram socorridos e encaminhados a hospitais da região. O estado de saúde dos mesmos não foi divulgado.

As autoridades locais divulgaram que por enquanto não irão divulgar a identidade das vítimas, porque primeiro as famílias precisam ser informadas.

A Embaixada do Brasil em Washington, capital dos EUA, informou agora a pouco que por enquanto não há indicações de que haja brasileiros entre as vítimas, mas que diplomatas e funcionários estão acompanhando o caso ocorrido em Orlando.

O tiroteio ocorrido em Orlando está sendo tratado pelo FBI como um possível ataque terrorista doméstico, mas agentes do órgão não descartam totalmente a possibilidade do mesmo ter sido praticado por jihadistas islâmicos.

Agentes do FBI detiveram agora a pouco o pai do suspeito e o levaram a uma delegacia de polícia local, aonde está sendo interrogado. Ele disse aos policiais e aos agentes que o filho tinha ódio dos homossexuais, mas que não acreditava que ele pudesse matá-los ou mesmo praticar atentados.

O pai do suspeito disse também não acreditar que o filho possa ter cometido esse ataque a pedido de algum grupo terrorista, como o Talibã e/ou a Al-Qaeda.

Testemunhas disseram que durante o tiroteio houve pânico entre os frequentadores, e que muitas pessoas saíram correndo desesperadas. As postas haviam sido fechadas, mas os seguranças decidiram abri-las para permitir a saída de todos.

Segundo o Jornal ‘Orlando Sentinel’, o suspeito portava um rifle AR-15, e até o momento as autoridades não sabem dizer como ele conseguiu entrar armado na boate, já que os seguranças costumam revistar todo o mundo.

O presidente dos EUA, Barack Obama, deve fazer um pronunciamento ainda hoje para falar o atentado. Ele deve voltar a condenar a venda indiscriminada de armas no país.

Com informações das Agências Reuters e Associated Presse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo