Ataques aéreos matam pelo menos 71 civis em Aleppo, na Síria

Cidadãos sírios observam a destruição em Al-Shaar, a Nordeste de Aleppo, na Síria, na manhã deste sábado (30/05) – Foto: AFP

Cidadãos sírios observam a destruição em Al-Shaar, a Nordeste de Aleppo, na Síria, na manhã deste sábado (30/05) – Foto: AFP

O Exército Sírio realizou na manhã deste sábado (30/05) uma série de ataques aéreos nas cidades de Aleppo e Al-Bab, na Síria, matando pelo menos 71 pessoas, todas civis, e deixando mais de 53 feridas. A maioria das vítimas são mulheres e crianças.

De acordo com as primeiras informações, divulgadas pelas principais agências internacionais de notícias, na cidade de Al-Bab os ataques, feitos com bombas de barril, se concentraram no Bairro de Al-Shaar, controlado pelo Estado Islâmico e, aparentemente, atingiram áreas residenciais, causando a morte de 59 pessoas.

Já na cidade de Aleppo, os ataques, também feitos com bombas de barril, causaram a morte de 12 pessoas, todas civis. Muitos dos feridos ainda se encontram sob os escombros, porque as equipes de resgate estão encontrando dificuldades para socorrer as vítimas.

Em nota distribuída à imprensa, o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), com sede em Londres, na Inglaterra, informou que as forças leais ao Governo Sírio estão tentando retomar os controles de áreas que se encontram em poder dos jihadistas do Estado Islâmico.

A Comissão Geral da Revolução Síria (CGRS), uma rede de militantes que cobre a Guerra Civil na Síria desde o ano de 2011, informou que os ataques são na realidade um massacre, e que os alvos são os civis.

“Trata-se de um dos maiores massacres cometidos pela aviação do Exército Sírio desde o início do ano”, diz a nota da CGRS, distribuída à imprensa.

Segundo uma testemunha que presenciou o ataque, e que preferiu não se identificar, na cidade de Al-Bab prédios foram destruídos, veículos incendiados, e muitas pessoas puderam ver restos de corpos humanos caídos no chão. Um hospital foi atingido pelas bombas e teve que ser esvaziado às pressas.

Já na cidade de Aleppo, as bombas atingiram prédios e um mercado popular, que ficou totalmente destruído. Vários edifícios residenciais foram destruídos.

Segundo o OSDH, a cidade de Aleppo encontra-se dividida desde 2012. A Região Leste está em poder dos insurgentes, e os bairros localizados na Região Oeste encontra-se nas mãos do Exército.

A Guerra Civil na Síria começou em março de 2011, depois que manifestantes, contrários ao presidente/ditador Bashar Al-Assad, realizaram uma série de protestos pacíficos, que foram duramente combatidos por forças leais ao regime.

Após, os insurgentes se armaram e iniciaram um combate as forças leais ao presidente/ditador, iniciando a Guerra Civil. Membros da Al-Qaeda e do Estado Islâmico aproveitaram o conflito para tentar ocupar regiões na Síria.

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) e do OSDH mostram que até o momento a Guerra Civil na Síria já causou a morte de 220 mil pessoas, e que milhares fugiram de suas casas e cidades, se refugiando em países vizinhos, principalmente na Turquia.

Com informações das Agências Reuters e AFP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo