Condomínios: atenção ao link dedicado!

Link dedicado não deve ficar sob domínio do condomínio.

Walter Uvo, especialista em tecnologia de segurança de condomínios da MinhaPortaria.com – Foto: Arquivo Pessoal

Estamos em pleno século 21 e rodeados de tecnologias, totalmente “conectados”. Quem não acompanha esse avanço, acaba por ficar obsoleto e um condomínio nestas condições só pode significar uma coisa: falta de segurança. Hoje, a portaria remota é um dos métodos que garantem mais segurança nas áreas de moradias, assim como aos próprios moradores, mas muitos ainda possuem dúvidas sobre o serviço e poucos se atentam ao que chamamos de link dedicado.

No meio de tantas pesquisas sobre o assunto, pouco se fala sobre ele, afinal as principais dúvidas não estão diretamente ligadas a este ponto em específico. Mas o fato é que, independentemente do tipo de serviço a ser realizado no condomínio, é preciso estar muito atento na hora das contratações aos mínimos detalhes. O link dedicado nada mais é do que aquilo que mantém toda a conectividade dos aparelhos, da portaria, dos alarmes, enfim, é a “internet” disponível para o condomínio.

O link dedicado é uma espécie de banda larga disponível apenas para você, para o condomínio e aquele serviço, exclusivamente, sem o acesso de terceiros ou para outros fins. Portando, é ele que realiza a “conversa” de toda a segurança com a central de monitoramento da portaria. É muito comum nos depararmos com contratos onde a empresa prestadora de serviço diz que a responsabilidade pela criação e manutenção desse link é integralmente do condomínio. Além de ser um absurdo, o síndico deve exigir que ele faça parte do serviço prestado.

Imagine que reparos na rede elétrica na rua ou até mesmo uma daquelas tempestades fortes, acabam por derrubar a energia e o condomínio fica sem o seu “conector de informações”. No mesmo dia, se não no mesmo instante, o síndico terá a enorme dor de cabeça de procurar alguma empresa que possa resolver o problema imediatamente – e sabemos que isso não é fácil no Brasil. Isso fragilizaria a segurança de todos, permitindo possíveis invasões, roubos e assaltos, ou até mesmo poderia impedir que os moradores entrem e saiam do condomínio.

Por isso, lembre-se sempre de exigir que o link dedicado esteja sob responsabilidade da empresa prestadora do serviço de portaria remota – isto deve constar dentro do orçamento que foi apresentado -, e de verificar bem os pontos do contrato antes de fechar o negócio para ter a certeza de que não estará apenas passando a responsabilidade da segurança para si mesmo.

*Walter Uvo, especialista em tecnologia de segurança de condomínios da MinhaPortaria.com

**O link dedicado é que interliga aparelhos, alarmes, portaria a uma central que garante a segurança do condomínio. Mas muitas vezes ela está escondida nos contratos como uma grande “pegadinha”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo