Empresário que aumentou preço de remédios em 5.000% é preso nos EUA

O empresário norte-americano Martin Shkreli, de 34 anos, ex-diretor-executivo da Empresa Farmacêutica Turing, foi preso na semana passada nos Estados Unidos (EUA) após ter sido condenado a sete anos de prisão por ter aumentado em 5.000% o preço de medicamentos.

Na realidade, Martin Shkreli foi condenado por fraude financeira em fundos gerenciados por ele. O caso de aumento do preço de medicamento ficou sem punição.

Chamado por muitos como “sociopata” e “escória”, Martin Shkreli, não conteve as lágrimas ao ler a sentença proferida por um juiz. Ele é acusado de explorar os mais pobres.

O empresário Martin Shkrel sendo detido por agentes do FBI – Foto: Craig Ruttle/AP Photo

Nascido no Bairro do Brooklyn, em Nova York (EUA), Martin Shkreli chegou a diretor-executivo da empresa farmacêutica ainda jovem e aos 34 anos administrava fundos de investimentos.

A Justiça o condenou a sete anos de prisão porque, em 2017, ele enviou informações falsas sobre contas de supostos clientes que sofreram enormes prejuízos.

Ele, no entanto, não é mundialmente conhecido pelo desfalque, mas sim por ter autorizado em 2015 um reajuste de 5.000% em medicamentos para pessoas com sistema imunológico frágil, como pacientes com Aids, grávidas e idosos. Na época, ele chegou a receber a alcunha de “O Homem Mais Odiado dos Estados Unidos da América”.

Durante o julgamento, que terminou na última sexta-feira (09/03), a defesa de Martin Shkreli pediu uma pena de entre 12 a 18 anos. A acusação, no entanto, pediu 15 anos de detenção.

No decorrer do julgamento o empresário reconheceu ter cometido atos ilícitos e vergonhosos, afirmando “Acabei com a figura de Martin Shkreli com minhas ações vergonhosas“.

Após fundar a empresa Turing Pharmaceuticals, Martin Shkreli recebeu a patente do remédio Daraprim e elevou o preço do medicamento para US$ 750 (cerca de R$ 2.400), um aumento de aproximadamente 5.000%.

Na economia norte-americana, no entanto, não é ilegal aumentar os preços dos medicamentos e por essa razão não houve acusação formal sobre esse assunto.

Na verdade, ele foi julgado e condenado pela fraude milionária e saques de milhões de dólares de dois fundos que ele gerenciada, o MSMB Capital e o MSMB Healthcare.

O juiz o considerou culpado por esses crimes e por valorizar o valor das ações da Retrophin, outra empresa farmacêutica fundada por ele em 2011.

Em nota divulgada à imprensa, o advogado de Martin Shkreli disse que seu cliente está completamente falido e sofrendo de depressão e ansiedade.

Os promotores do caso conseguiram apreender ativos de mais de US$ 7,4 milhões do jovem, incluindo a cópia do álbum de um grupo americano hip-hop, o Wu-Tang Clan, pelo qual ele pagou cerca de US$ 2 milhões (R$ 6,4 milhões) em um leilão há três anos.

Com informações da Agência Associated Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo