PMA autua e multa pecuarista em Juti (MS) por degradação ambiental

Foto: PMA/MS – Divulgação

A Polícia Militar Ambiental (PMA) em Mato Grosso do Sul divulgou na manhã deste domingo (12/11), a informação de que policiais da corporação flagraram na zona rural do município de Juti, a 302 km de distância de Campo Grande, capital do Estado, degradação ambiental em uma propriedade rural.

De acordo com informações da Assessoria de Comunicação da PMA/MS, o flagrante aconteceu na sexta-feira (10/11), durante uma fiscalização de rotina realizada na região.

Segundo os dados que constam no Auto de Infração (AI), os quais foram repassados à imprensa, os policiais ambientais faziam a fiscalização nas propriedades rurais quando em uma delas constataram que funcionários estavam assoreando um córrego, e foram verificar o que estava de fato ocorrendo.

Na fazenda os policiais militares ambientais constataram a falta de conservação do solo, o assoreamento de um córrego que ‘corta’ a propriedade, diversas erosões e uma voçoroca de 1,3 mil metros de diâmetro por 6 metros de profundidade.

Ficou constatado ainda que o gado existente na propriedade rural estava ‘invadindo’ uma Área de Preservação Permanente (APP) e, consequentemente, fazendo com que surgissem as erosões e a voçoroca.

Diante dos fatos, os policiais militares ambientais autuaram administrativamente o pecuarista e o multaram em R$ 78 mil. Toda a atividade na propriedade rural foi paralisada e o local foi interditado.

Além disso, o infrator foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil, onde foi autuado por crime ambiental. A pena prevista para este caso é de 1 a 3 anos de prisão.

O pecuarista, que não teve a identidade divulgada, terá que apresentar a um órgão ambiental de Mato Grosso do Sul, um Plano de Recuperação de Área Degradada e Alterada (PRADA).

Com informações da Assessoria de Comunicação da PMA/MS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo